quinta-feira, junho 14, 2007

A REVELAÇÃO

O homem pára de repente. Olha para o céu. Nuvens enormes ameaçam. Não há mais ninguém em lugar algum? O homem esqueceu os óculos sobre a escrivanhinha, sobre o último livro. Com os óculos, o título do livro, o nome do autor e as últimas palavras lidas. Todas as palavras lidas. Todos os livros. Todas as coisas. O homem é o último. Demorou-se justamente por causa do livro, e agora, sob as nuvens, a rua deserta, já não sabe do que tratava. Todos se foram enquanto lia. Como pôde esquecer dos óculos? Agora só uma coisa interessa. A fuga. É preciso fugir. O homem quer voltar e apanhar os óculos, relembrar o esquecido – o que mais esqueceu?, mas é preciso fugir como os outros, como todos. E, no entanto, só. É preciso, máxima urgência, abandonar-se de vez.

10 comentários:

diovvani mendonça disse...

Um homem cego e em fuga. Um homem sem memória. Um homem zerado. É meu caro pode revelar-se um novo nascimento e um horizonte de possibilidades. AbraçoDasMontanhas.

P.E.: Acredito em você no concurso da Revista Piaui. Não deixe de enviar-me o conto, que irá inscrever.

clarice ge disse...

Alguns precisam perder-se para encontrar-se. Outros não se encontram jamais (não existem óculos para a cegueira absoluta).
Carinhos meu querido amigo

Antônio Alves disse...

Que imagem sagaz, meu caro. O abandono é um ato vil; acho o passado um bem precioso para se deixar assim ao léu. Agarro-o como a um relicário. Há braços!



Antônio Alves
No Passeio Público
Postagens às quartas e domingos

marcos pardim disse...

após um final de semana "barra pesada", começar uma outra desjejuando ao lado de um certo gigante e tendo a clarividência de uma revelação é mesmo um bom motivo para assobiar uma bela canção para o dia que amanheceu cinzento. 1 abraço

Pedro Paulo Pan disse...

, abandonar, fugir, voltar, relembrar. até que se encontre o caminho...
, abraços meus.

gdec disse...

Que descobriu V., meu caro?
Porque é assim que nos sentimos quando achamos ou julgamos achar .

Um abraço
gdec

diovvani mendonça disse...

E aí, meu caro? Aqui estou, à procura de novas palavras suas. AbraçoDasMinas

P.E. Já esta bolando, uma boa estória para o concurso? Confio em você. Acho que valerá a pena participar.

diovvani mendonça disse...

Ops: está

Mauro Castro disse...

Edilson, seus textos continuam ótimos. Dia desses encontrei um blog que talvez lhe interesse.
http://filosofilo.blogspot.com
Há braços!!

Anônimo disse...

elrodris passou aqui; bom, muito bons; votos, até