quarta-feira, outubro 21, 2009

VERTIGEM E SIGNIFICAÇÃO


9

Nada realiza o humano mais que a experiência, a aceitação e o reconhecimento da solidão como condição fundamental do existir. Nascer só, viver só, morrer só. Em nenhum dos casos o homem pode interferir. No entanto, no intervalo entre o primeiro e o último, ele perde-se de si em vãs tentativas de pertencimento. O homem vê no pertencimento a, no ser contado entre, um resgate, uma forma de salvação. A vontade de pertencimento denota uma incompreensão e um desvio do essencial.

14 comentários:

Extase disse...

e que seri esse essencial ou ate mesmo a essencia?

Edilson Pantoja disse...

A solidão expressa o ser-autêntico. a solidão é o essencial.

EBNET disse...

Ninguém neste mundo vive só, e somente por isso o homem tende a resgatar laços que possam lhe levar a uma vida melhor e com um sentido. Se isso não acontece, pelo menos deveria.
Precisamos ter metal e desejos para estarmos vivo!
um grande abraço da aluna Olga Prantera

Anônimo disse...

Concordo parcialmente, prefiro não ser tão pessimista! Perder-me em tentativas de pertencimento, no fundo sei que sou sozinha mesmo. Muito bonito!!!Abraço

elainezaragosa@hotmail.com

CeciLia disse...

Lúcido, amigo.

Não pessimista: verdadeiro!

Abraço

Cecilia

olga disse...

pessimismo passa longe do meu pensamento... o importante é refletir!

Lepidóptero disse...

pASSEI PARA TE VER!
UM ABRAC!

AFRICA EM POESIA disse...

Edilson
Fiquei muito contente e estou disponivel para o que precisares.


beijos

gdec disse...

Já respondi à tua mensagem mas temo que não tenha chegado. Por isso vou transcrever aqui a minha resposta :

"Que bom receber notícias tuas . De vez em quando vou ao teu blog e na verdade sou teu admirador ainda que ultimamente escrevas pouco nele . Não me admira sabendo agora que tens estado a escrever um romance . Sei o trabalho que dá.
Terei o maior prazer e honra em ler o teu livro e fazer o comentário . O meu email é assim :
gdec2001@yahoo.com.br

Grande abraço
Geraldes de Carvalho"

belas as tuas notas que eu já não via desde março

AFRICA EM POESIA disse...

Meu amigo
não consegyui abrir a pasta.manda outra vez.
um beijo

gdec disse...

Caro amigo
Não sei se esta é a melhor forma de te avisar que já mandei o meu comentário ao teu romance há vários dias .
Por favor diz-me se recebeste.
um abraço
Geraldes de Carvalho

Dreamer disse...

Grande Pantoja, há tempos não passeio aqui, como de costume em meus exílios da blogosfera. Feliz em ver que tuas letras estao cada dia melhores.

grande abraço!

Reginaldo Ramos disse...

O uso de drogas seria um "buscar a si", já que o prazer, nesse ato, não está no pertencimento, como no fazer sexo?!
Conversei com usuário de crack, ele disse que nada é tão genial como aquele momento, rápido como um gozo, segundo ele, em que o usuário não está pra ninguém, só pra ele!!

Edilson Pantoja disse...

Reginaldo, o uso de drogas, tal como descrito, é uma forma de não olhar para baixo, de não encarar o abismo de frente e, portanto, de não olhar para si tal como se é. Como qualquer outra forma de desvio, a droga é uma tentativa de resgate, como as confrarias de eleitos, as consultas a especialistas em felicidade, a cirurgia plástica estética, o ascetismo, a religião, a fama, o mercado... Mas tudo são formas de siginificação ante ao nada que a todos cerca. É claro que aquelas que expressam atidude de fuga denotam uma inautenticidade ou má fé. Acredito que a forma de significação menos questionável é justamente a que resulta de um olhar firme e decidido para o fundo do abismo: aquela que o aceita enquanto tal e em meio a uma vibração positiva e enérgica.
Abraço!