sexta-feira, maio 15, 2009

LA PROMESA DE LAS NUBES


Neste antecipado bafejo de ar, quantos perigos ocultos! Quantos perigos! Oh! Quantos perigos... Estarei pronto para nova empreita? Quero realmente tornar ao lombo de Rocinante?
Pode ser que a venda nos olhos esconda um truque, e o cavalo que me leva entre nuvens não passe de um qualquer tronco selado... Quanto ao vento no rosto, talvez seja apenas um artifício daquele que, divertido, me engana. Mas, que importa? Vento no rosto é o paraíso de todo cavaleiro!
Donzelas em apuros, alegrai-vos! Males do mundo, tremei! O velho cavaleiro, lança em riste, retoma sua armadura! Eia!

5 comentários:

clarice ge disse...

Todo desafio é amedrontador (ou assustador)e atraente ao mesmo tempo. Como resistir?
Feliz com o retorno do cavaleiro.
carinhos Edilson

Caceres disse...

Ânimos e desânimos. É tudo uma questão de momento, de fase.

marcos pardim disse...

salve!!! escutei um tropel, sai pra ver o que era, e qual não foi a minha surpresa em ver qual era o cavaleiro que de lá vinha... e se a lança está em riste, é bom mesmo as donzelas em apuros alegrarem-se (rss...) grande abraço...

CeciLia disse...

Eiaaa????

Ebbaaaa!!!

Bom te reler, amigo poeta. Beijos na tua Lia.

CeciLia

Ruaz disse...

Boa Noite,
Tenho o prazer de anunciar que o blog Albegue Nocturno acaba de ser nomeado para o Prémio Lemniscata. Muitos parabéns pelo seu trabalho!